End of Life sem fim com MuleSoft

Se você está lutando com uma experiência de fim de ciclo de vida cara ou demorada com o Mulesoft, saiba como o Digibee pode ajudar.

22 de Junho de 2023

Às vezes não é fácil ser um cliente MuleSoft. Embora nunca tenhamos estado lá, muitos de nossos clientes já estiveram. 

O modelo de licenciamento é caro, com suporte e manutenção que também consome parte do bottom line. Treinar (ou contratar) pessoas para trabalhar com a tecnologia é outro dificultador, com certificações especiais e cursos , consumindo os orçamentos de TI. De acordo com a nossa pesquisa anual, manutenção e treinamento estão no topo da lista dos orçamentos de integração non-iPaaS, consumindo quase 40% dos gastos. Portanto, não estamos falando de pouca coisa.

A tecnologia, em seu auge, era incrível, oferecendo recursos de integração para SaaS, software local, sistemas legados e outras plataformas. Mas a tecnologia do início dos anos 2000 não é suficiente para organizações que precisam de mudanças significativas. Hoje, a integração empresarial é um facilitador de inovação e agilidade. Se está restringindo os negócios, não está exercendo a sua função.


desenvolvedores-programadores-engenheiros-frustrados-mulesoft-ciclo de vida

Um ponto de inflexão da MuleSoft: End of Life

Um grande motivador para as empresas que estão saindo da MuleSoft é a experiência desorganizada e cara de end of life (EOL). Por exemplo, o Mule Runtime Engine V4.3, que recentemente retornou do suporte padrão para o estendido.

Embora o suporte estendido para o Runtime Engine possa parecer razoável como uma etapa final na jornada do fim da vida útil, você precisa ler as letras miúdas. Depois que uma versão entra no suporte estendido, a funcionalidade empresarial de linha de base é negada até que o cliente atualize para a nova versão. E não estamos falando de um pequeno inconveniente. Estamos falando da capacidade de reiniciar aplicativos ou criar novos no CloudHub, a plataforma de integração MuleSoft. Quão bem sua empresa funcionaria se essas atividades de aplicativos fossem suspensas?

Un-Appy Apps

Atualizar para a próxima versão do Runtime Engine não é uma experiência perfeita, principalmente ao gerenciar seus aplicativos existentes.

Quando um aplicativo Mule é criado, o desenvolvedor seleciona o Runtime Engine no qual o aplicativo será executado, também conhecido como a versão Mule de destino. Cada aplicativo é criado dessa maneira e, como os aplicativos são criados ao longo do tempo, não é incomum que as versões de destino do Mule sejam diferentes por aplicativo. Você pode ver onde estamos indo com isso.

O MuleSoft fornece um mecanismo de sinalização de recurso. Ajuda a identificar aplicativos e alterar o comportamento da instância Mule, dependendo da versão mínima do Mule atribuída ao aplicativo quando ele foi criado. Confuso? Aqui está o artigo MuleSoft para lhe fornecer ainda mais detalhes.

Esse recurso destina-se a oferecer compatibilidade com versões anteriores, mas é complicado. Embora anunciado como “automático”, ainda é necessário muito trabalho manual, pois cada aplicativo precisará de um sinalizador de recurso individual. 

Uma vez identificados os aplicativos que precisam alterar a versão do Mule de destino, um desenvolvedor deve tocar em cada um, importando o aplicativo para o Anypoint Studio como um projeto do Mule e alterando a versão do Mule manualmente, selecionando-a no menu Server Runtime. Isso aumenta muito o tempo para desenvolvedores certificados e caros gastarem na limpeza manual da casa EOL.

Um conflito de compatibilidade

Certamente ajudaria se a compatibilidade fosse garantida. Mas isso nunca é um dado. Na verdade, raramente é garantido se a nova versão for considerada principal (por exemplo, Runtime 4.x a 5.x). 

Embora MuleSoft prometa “compatibilidade potencial” em versões menores, não há certeza e pouca percepção, dificultando o planejamento e os recursos para o próximo ciclo.

Os altos custos do MuleSoft EOL

Com um modelo tão complicado e trabalhoso, não é surpresa que a experiência Mule Runtime EOL tenha um custo. Algumas considerações:

  1. Recursos: Já cobrimos o custo e o tempo necessários para certificar parte ou toda a sua força de trabalho para aprender a usar o MuleSoft. Designar essas pessoas para trabalhar em tarefas básicas de manutenção diminui um ROI já oscilante.
  2. Capacidade organizacional: Enquanto times experientes estão ocupados executando aplicações, um código de cada vez, o trabalho mais importante fica ocioso e as pendências de TI continuam a crescer. Os backlogs de TI fora de controle são um dos principais motivadores para os clientes MuleSoft avançarem para o Digibee.
  3. Ciclos repetitivos de trabalho: Os ciclos de vida de lançamento estão ficando mais curtos, forçando os clientes da MuleSoft a fazer tudo de novo em uma cadência cada vez mais rápida. Por exemplo, o Runtime V4.3 encerrou o suporte padrão em 7 de junho de 2023, enquanto o 4.4 terminará em 7 de fevereiro de 2024. 
  4. Interrupções nos negócios: Se você não tem um complemento completo de desenvolvedores MuleSoft sentados procurando trabalho, é provável que você não atualize no primeiro dia. A incapacidade de reiniciar e implantar novos aplicativos apresenta riscos reais para sua operação, aumentando o potencial de tempo de inatividade e interrupções nos negócios.

O Diferencial Digibee

A melhor atualização do MuleSoft para muitas empresas é quando elas atualizam para a moderna tecnologia de plataforma de integração como serviço (iPaaS) da Digibee.

Aqui estão apenas alguns dos pontos chaves:

  • Não há atualizações para você se preocupar. Para sempre.
  • Não há necessidade de engenheiros e desenvolvedores investirem de 8 a 10 semanas para aprender e obter certificação. Com a Digibee, a curva de aprendizado é de dias. Habilidades especializadas não são necessárias, além disso, é gratuito. Nossos clientes nunca pagarão para aprender.
  • A fácil de usar interface de arrastar e soltar é acessível para os profissionais juniores e experientes, permitindo que todos contribuam com menos erros e um tempo mais rápido para geração de valor.
  • Não há dependência de integrações personalizadas e outros suportes. Digibee's low code para pro-codificadores permite que equipes internas dimensionem, monitorem e criem integrações do zero, tudo em um só lugar.
  • A Digibee é nativo da nuvem, baseado em mecanismo e desenvolvido em Kubernetes, deixando a arquitetura local da MuleSoft para trás.

Para saber mais sobre as vantagens da tecnologia iPaaS da Digibee versus MuleSoft, reserve um tempo para contacte-nos.

Blogs Recentes


Escolhendo Digibee: Substituir ou Coexistir?

Novos usuários do Digibee geralmente optam por substituir um iPaaS legado ou executá-lo em paralelo para eliminar seus atrasos de integração.

Leia mais

Os cinco principais pontos problemáticos da integração empresarial que inspiram mudanças

Explorar os cinco principais pontos problemáticos comuns de integração que levam as empresas a fazer mudanças para obter resultados bem-sucedidos.

Leia mais

5 boas razões para não substituir uma tecnologia implantada

Mudar é difícil e você tem bons motivos para não modernizar seu iPaaS, mas aprenda como a Digibee pode resolver todos eles e economizar tempo, dinheiro e recursos.

Leia mais

Explore mais do Digibee


Por que a Digibee

A maioria das plataformas de integração exige conjuntos de habilidades especializadas e implementações longas e caras. O construtor low-code da Digibee's, o gerenciamento e monitoramento integrados e os componentes reutilizáveis ​​aceleram a inovação e a agilidade em seus fluxos de trabalho de integração.

Preços Digibee

Os preços simples e diretos da Digibee oferecem acesso a suporte e serviços especializados, eliminando o risco e o estresse dos projetos de integração empresarial.

Relatório O Estado da Integração Empresarial

O segundo relatório anual sobre o estado da integração empresarial da Digibee detalha as opiniões e estratégias futuras, contadas por mais de 2 profissionais de TI e desenvolvimento, sobre o tema da integração.

X